Chifres, patas e garras

Não quero sua polidez reluzente
de tão bem educada e delicada
Não quero sua delicadeza fofa
de suavidade acolhedora e indiferente
Quero mesmo é teu verbo violento
de me ferir os olhos e reverberar dolorosamente em meus ouvidos
Quero sua brutalidade em me empurrar para frente ainda que me cause ferida
e tire pedaço destes pés fincados no chão por medo de me arriscar
Se me falta coragem, que seja teu afeto a me arremessar para fora do meu lugar
e me fazer andar.

@ivonepita

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s