Uma quarta qualquer

Quando uma quarta-feira, uma quarta qualquer, revela-se um monstro-preguiça devorador de suas vontades. E faz de você uma espectadora de si mesma.

Espectadora que olhando reconhece bem o que vê: alguém que abre mão de orgulhos bobos e outros expedientes para não ceder à tentação.

Tentação de não ter disposição alguma à reflexão, à compreensão ou à resiliência e de apenas brigar ou romper com quem insiste em intransigências.

Intransigências tão bem justificadas por quem a elas se agarra, mas tão incompreendidas por quem diante delas fica apenas com a tristeza e a decepção.

Decepção remediada apenas pela calma trazida pelo tempo, senhor dissipador de todo susto e toda mágoa, e que nos permite manter e cultivar o afeto.

Afeto que me toma pela memória os sentidos e me leva em viagens por falas, sorrisos, gestos, olhares e imagens por toda uma quarta, uma quarta qualquer.

@ivonepita

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s