Renovar. Recomeçar. Refazer.

Quando eu era religiosa, católica de carteirinha, uniforme completo e chuteiras, a cada Páscoa a ressurreição tinha um significado muito especial e estava longe de ficar circunscrita à ressurreição de Cristo. Páscoa significava um momento de reflexão, de renovação, a mim era ensinado que era um momento de parar, pensar e recomeçar o que fosse necessário. Era um momento de renovação. E só o Deus no qual eu acreditava por todos aqueles anos seria capaz de enxergar o quanto eu precisava crer nisso e por em prática com todas as minhas forças para atravessar o tanto de dificuldade que me era imposta para me vestir, para comer, para continuar os estudos, para continuar sonhando, mantendo intacta minha capacidade de me alegrar, de seguir em frente. De afeto. Ali a Páscoa adquiria o sentido de morte e ressurreição. Deixar para trás, se livrar de tudo que pesa, que machuca, que magoa, que impede de seguir adiante. Renovar-se. Fazer ressurgir. A esperança, a certeza no poder de restauro da própria vida. Em nossa natureza restaurativa. Aqui podem ressurgir sonhos, planos, esperanças, desejo de vida. E tantas vezes eu precisei de renovação. Tantas vezes eu precisei restaurar a mim mesma, minha força, minha firmeza diante das dificuldades, minha resistência frente a tanta carência material. Tantas vezes eu precisei renovar minha determinação em acreditar que eu poderia fazer tudo mudar, que eu poderia alterar minha trajetória, mudando minha existência para algo maior e melhor.

Gratidão intransitiva é o que sinto hoje. Sensação de gratidão por tudo que consegui superar, tudo que eu soube enfrentar, toda ajuda que tive – pois, sim, mesmo quando não sabemos, não percebemos, sempre temos ajuda e não falo de nada metafísico, místico, espiritual. Sinto gratidão por cada pessoa sensível e amorosa que atravessou meu caminho, que cruzou apenas minha vida e nela deixou sua marca ou que ainda aqui permanece colaborando com a minha construção diária, me ajudando a ser um ser humano melhor, mais empático. E se você crê que Cristo morreu e ressuscitou por você, então, acredito que nada seria mais coerente com isso e nada corresponderia melhor a essa fé do que renovar a si mesmo, o amor pela vida, a esperança, os sonhos, os planos, os afetos.

Renovar. Recomeçar. Refazer. Restaurar. Você pode chamar como quiser, o importante é que você não se perca de si mesmo, que não perca a noção do privilégio, do espetáculo único que é a vida, o fato de ter nascido e de estar vivo até agora, sendo uma partícula tão micro diante de tantas e tantas múltiplas existências nesse universo e das possibilidades de vida que nunca aconteceram, não irão acontecer ou já se romperam. Ressurreição para os cristãos. Liberdade para os hebreus. Renascimento para os pagãos. Acredite no que for melhor para você. O que importa é o ritual de passagem, de ressurgir, de se libertar, de renascer. O que importa é a renovação. Sim, renovar-se não é fácil. Mas quem disse que a trajetória seria melhor ou mais rica se não tivéssemos que nos exercitar em malabarismos entre os obstáculos? O movimento é justo o que nos torna mais sábios, mais fortes, mais resilientes, mais capazes de manter e fortalecer laços de afeto apesar dos percalços e dificuldades.

E não, eu não acredito em pecado, em milagre, em benção ou em um deus onipotente, onipresente e onisciente. Não acredito em lei do retorno em um sentido místico ou metafísico. Eu acredito no amor, no afeto, no respeito incondicional a outros seres humanos. Acredito em postura ética, em empatia, em consideração na mesma medida em que eu gostaria de ser respeitada.

Renovação. Coisas que deixamos para trás ou precisamos mesmo arremessar ao longe. Coisas preciosas que precisamos resgatar e cuidar melhor. Coisas especiais das quais precisamos cuidar com mais dedicação. Que saibamos passar por qualquer processo de mudança, da melhor forma possível.  Seja no amor, no afeto, na vida que exige decisões diárias. Por outro lado, possamos alcançar a aceitação plena. Que não haja nada em nós que precisemos matar. Que seja superado e deixado pra trás. Sem ódio, sem mágoa, sem rancor. Não vale a pena mesmo guardar e cultivar essas coisas. Que tenhamos toda certeza de que tudo que nos aconteceu, tudo que fizemos ou deixamos de fazer, tudo que conseguimos ou não, tudo de que demos conta ou não, tudo que conquistamos ou não, tudo que fizemos ou não de nós mesmos e da nossa vida precisamos entender que foi o que era possível naquele determinado momento e para aquelas pessoas que éramos naquele tempo. Que isso seja para além de entendido, que seja internalizado de forma tão tranquila, tão como parte nossa que seja essa a melhor Páscoa de toda a nossa vida e que seja melhor a cada ano.

Isso é o que desejo a cada pessoa: renascimento, renovação, passagem. Desejo vida. Vida plena, com tudo o que ela tem de melhor! Amém.

@ivonepita

Anúncios

6 comentários

  1. Lindo texto e reflexão para o dia de hoje. Que possamos sim, sempre nos renovarmos, revermos nossos preconceitos e defeitos, trabalharmos para nos melhorarmos, repararmos o que temos de importante e precioso na nossa vida.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s